23/06/2022 às 20h24min - Atualizada em 24/06/2022 às 00h01min

24/06: Dia Mundial da Prevenção de Quedas em Idosos e dicas para adaptar a casa e prevenir acidentes

A casa é o local onde ocorrem mais acidentes com idosos acima dos 75 anos. Especialista em envelhecimento ativo fala sobre a importância de adaptar a casa para o idoso e criar um ambiente seguro

SALA DA NOTÍCIA Giovana Yamaki
Banco de Imagens Freepik



Junho de 2022
- Com forma de conscientização, o dia 24 de junho foi marcado como o Dia Mundial da Prevenção de Quedas em Idosos, pois os primeiros sinais de envelhecimento podem impactar diretamente a mobilidade, diminuição e alteração de marcha, ou mesmo a perda da massa muscular gerando um aumento do nível de dificuldade nas atividades diárias.

Essas vulnerabilidades na mobilidade do idoso, podem acarretar alguns acidentes domésticos, como quedas em escadas, escorregões no banheiro e perda de equilíbrio em ambientes com muitos móveis, que podem gerar faturas graves e quedas fatais.  Sendo assim, é importante que a residência seja adaptável, para evitar essas lesões letais.

A Sociedade Brasileira de Traumas Ortopédicos, relatam que 70% dos óbitos por acidentes com idosos acima dos 75 anos, está diretamente vinculado as quedas, geralmente essas causalidades ocorrem dentro do próprio lar. Com isso, Márcia Sena, CEO da Sênior Concierge e especialista em qualidade de vida na terceira idade e envelhecimento ativo, relata a importância que a casa seja adaptável e um ambiente seguro.

“Manter a casa segura para os idosos pode prevenir acidentes e hospitalizações, e para isso, medidas simples podem ser muito bem-vindas. Instalação de corrimão em corredores e escadas, piso antiderrapante, rampa de acesso, barra de apoio em banheiros, protetores de quinas para móveis, fixar fios à parede e trocar maçanetas para o tipo “alavanca” ou até mesmo a retirada daquele tapete escorregadio são algumas delas”, ressalta a especialista.

A especialista comenta que nos últimos anos, nasceu o conceito de aging-in-place. Que resumidamente seria: envelhecer no lugar ou envelhecer em casa.

“Então, existe a opção de criar a adaptação do lar, bem como ter uma estrutura na residência, tornando um lar seguro para o idoso, seja o que ele já morava ou mesmo com a família, cercado de memórias e bem-estar”, esclarece Márcia.

Por isso, a CEO, desenvolveu na empresa uma avaliação da residência de idosos, chamada Check-up do Lar Senior, feita por gerontólogos, que orientam as famílias sobre as adequações ideais para cada cômodo da moradia, tornando-a mais segura, acessível, oferecendo melhor mobilidade e ergonomia para seus moradores.

Sobre Márcia Sena

É fundadora e CEO da Senior Concierge e especialista em qualidade de vida na terceira idade. Tem MBA em Administração na Marquette University (EUA) e experiência em várias áreas da indústria farmacêutica.

Criou a Senior Concierge a partir de uma experiência pessoal de dificuldade de conciliar seu trabalho como executiva e cuidar dos pais que estão envelhecendo. Se especializou nas necessidades e desafios da terceira idade e desenvolveu serviços com foco na manutenção da autonomia dos idosos no seu local de convívio, oferecendo resolução de problemas de mobilidade, bem-estar, tarefas do dia a dia e segurança.

 Sobre a Senior Concierge

É uma empresa com um novo jeito de dar suporte aos 60+, com um modelo de atenção integrada e centrada nas reais necessidades dos maduros. Uma resposta dos novos tempos para um modelo que se esgotou, que é o modelo curativo baseado nas doenças, praticado por outras empresas de home care. Com a proposta de garantir um envelhecimento prazeroso, proporcionando qualidade de vida, bem-estar e segurança dos familiares.


Notícias Relacionadas »