31/01/2022 às 18h41min - Atualizada em 01/02/2022 às 00h00min

Segurança e prazer alimentar na terceira idade

Segurança alimentar na terceira idade torna-se prioridade

SALA DA NOTÍCIA Juliana Aquino
Pexels

Dicas  essenciais a serem seguidas pelas famílias dos idosos

Dicas essenciais a serem seguidas pelas famílias dos idosos

No dicionário, gula é “vício ou defeito de comer e beber em demasia; glutonaria”. Já no dia a dia, com a idade avançando, o ato de comer de tudo um pouco pode reduzir. De acordo com a fonoaudióloga Patrícia Hildebrant, idosos podem ter receio de se alimentar e, nesses casos, é preciso ligar o alerta. Segurança alimentar na terceira idade torna-se prioridade e o acompanhamento de um profissional especializado também.

“O envelhecimento puro e simplesmente já gera uma série de modificações de morfologia, autonômicas, bioquímicas e isso leva a uma mudança no padrão de vida de idosos. Quando se fala de mastigação e deglutição essas mudanças são mais evidentes. Os próprios idosos já começam a conduzir uma mudança no seu padrão alimentar dando preferências a alimentos mais macios, que geram menos resíduos, que exigem menos força”, explica a fonoaudióloga da Casa São Luiz, instituição de longa permanência localizada no Rio de Janeiro.

“Os idosos conduzem essas mudanças e quanto mais eles percebem as dificuldades a dieta passa a ser prazer e segurança”, completa a especialista.

No entanto, apesar das limitações alimentares no público 60+, o prazer da alimentação não deixa de existir. Para garantir prazer na alimentação, além de segurança, é necessário que o idoso tenha a orientação profissional de um fonoaudiólogo. 

Conheça algumas dicas a serem seguidas pelas famílias:

Família e cuidadores são diretamente responsáveis pela segurança alimentar. É essencial uma rede de apoio em casa ou nas ILIPs ou nas redes hospitalares para que as orientações sejam bem executadas;

 
  • O idoso precisa estar tranquilo no momento da alimentação;
  • É essencial estar bem posturado e bem orientado por um fonoaudiólogo; 
  • A dieta precisa seguir os padrões de consistência estabelecidos pela fonoaudiologia junto à equipe de Nutrição. O idoso  precisa ser incentivado de forma correta no processo de alimentação. Não pode se sentir intimidado;
  • Higiene completa é essencial, principalmente, se tiver prótese. Na ausência de dentes, uso de gaze e enxaguador bucal;
  • Após a refeição é preciso aguardar de 30 a 40 minutos para posturar o idoso deitado. O processo é lento, e a digestão também;
  • Alimentos muito rígidos são perigosos para os idosos. Nessa fase tende-se ao desgaste ósseo, o que interfere diretamente no processo de mastigação;
  • Alimentos muito secos também oferecem perigo, já que os idosos têm menor produção de saliva dificultando a formação do bolo alimentar na cavidade oral. Há menor força de ejeção desse bolo para região de orofaringe, prejudicando ainda mais a ingestão desses alimentos.


A Casa São Luiz é a instituição de longa permanência de idosos mais antiga do país, com 131 anos de existência, localizada no bairro do Caju, Zona Portuária do Rio de Janeiro.
Notícias Relacionadas »